Mafra – Santa Catarina

O Dia do Desafio foi criado no Canadá e é difundido mundialmente pela The Association For International Sport for All (TAFISA), entidade de promoção do esporte para todos, sediada na Alemanha.

É uma campanha de incentivo à prática regular de atividades físicas em benefício da saúde e acontece anualmente na última quarta-feira do mês de maio, por meio de ações comunitárias. O SESC SP coordena o evento no Continente Americano desde 2000.

O convite à atividade física se estende a todos, envolvendo o poder público de cada cidade, as instituições da sociedade civil, empresas, voluntários locais e os próprios participantes.

Durante o rigoroso inverno canadense de 1983, quando a temperatura chegava aos 20 graus negativos, o Prefeito sugeriu uma ação que necessitava da colaboração de todos. A ideia propunha que, às 15 h, todos apagassem as luzes, saíssem de casa e caminhassem durante 15 minutos ao redor do quarteirão mais próximo. Era um convite ao exercício do corpo.

Além de estimular a realização de atividade física, a iniciativa ocasionou a economia de energia que pôde ser calculada pelo número de pessoas envolvidas na atividade. No ano seguinte, a experiência foi compartilhada com a cidade vizinha e ambas realizaram a caminhada juntas, na mesma data e horário. Estava lançado o espírito que definiria o programa do Dia do Desafio.

Dados estatísticos do ano de 2011 referentes a cidade de Mafra – SC

A ideia teve sequencia e o Dia do Desafio passou a ser realizado todos os anos na última quarta-feira do mês de maio, em todo o mundo, e cresce em número de cidades e em total de participantes. Em 2010, o evento completou 15 anos no Brasil e tem oferecido a oportunidade de mobilização coletiva em torno da atividade física para pessoas do Continente Americano.

1995

O SESC São Paulo realiza o evento no Brasil pela primeira vez, em parceria com a The Association For International Sport for All (TAFISA). No mesmo ano, Pelé (Ministro de Esportes na época) participou do lançamento, afirmando “incentivar todos os brasileiros a praticar esportes”.

Como funciona

Nesse dia, pessoas de todas as idades se envolvem em uma competição amigável entre cidades do mesmo porte, na tentativa de mobilizar a maior porcentagem de participantes, tendo como base de calculo o numero oficial de habitantes do município.

A competição é apenas estímulo à participação. Quem sai ganhando são os envolvidos, que exercitam a integração social, a criatividade, a liderança e o espírito comunitário.

As cidades inscritas são agrupadas em 7 categorias, de acordo com o número oficial de habitantes. Para as cidades brasileiras, será considerado o número oficial do IBGE, contagem da população 2010, disponível no site http://www.ibge.gov.br/cidadesat

Para as cidades do exterior número oficial de habitantes será fornecido pelos órgãos municipais responsáveis pelo evento.

Um sorteio eletrônico estabelecerá o desafio entre duas ou três cidades da mesma categoria, que irão disputar para mobilizar o maior percentual de habitantes.

Após o encerramento das atividades, os Coordenadores Regionais informam os resultados de cada cidade na área restrita do site do Dia do Desafio.

O resultado das parcerias somente será exibido no site depois de inseridos os dados das duas ou três cidades competidoras.

O maior prêmio para a cidade vencedora é a melhoria da qualidade de vida de seus habitantes.

A adesão ao Dia do Desafio demonstra a disposição da comunidade em mobilizar seus cidadãos para uma vida saudável, pois através desse movimento, indivíduos, grupos, instituições privadas e públicas estabelecem objetivos comuns, que servirão para enriquecer e desenvolver os valores da cidadania em crianças, jovens, adultos e idosos.

O PDE Escola é um programa de apoio à gestão escolar baseado no planejamento participativo e destinado a auxiliar as escolas públicas a melhorar a sua gestão. Para as escolas priorizadas pelo programa, o MEC repassa recursos financeiros visando apoiar a execução de todo ou de parte do seu planejamento.
A ferramenta utilizada pelas escolas para realizar o seu planejamento é o PDE Interativo, um módulo disponível no SIMEC. O PDE Interativo foi desenvolvido com base na metodologia do PDE Escola, mas a partir de 2012, todas as escolas públicas do país poderão utilizá-lo – mesmo aquelas que não foram priorizadas pelo PDE Escola, ou seja, que não receberão recursos federais desse programa.

PDE Interativo: novo marco do PDE Escola

O PDE Interativo vem atender às solicitações encaminhadas por diversas secretarias de educação que desejavam utilizar a metodologia de planejamento do PDE Escola em toda a sua rede, independente do repasse de recursos federais.
Neste sentido, a principal diretriz adotada pelo MEC para implementar esta ideia foi oferecer uma ferramenta de fácil acesso e compreensível por todos aqueles que compõem a comunidade escolar, sem a obrigatoriedade de realizar formações presenciais. O objetivo do Ministério da Educação é fortalecer a gestão escolar democrática e participativa, envolvendo efetivamente todos os segmentos que podem ajudar a construir uma escola pública cada vez melhor.
A construção do PDE Interativo contou com a participação direta das coordenações estaduais do PDE Escola e das coordenações do programa nas capitais dos estados. Nestas ocasiões, foram debatidos, ponto por ponto, os aspectos que poderiam ser aperfeiçoados na metodologia e as funcionalidades desejadas para o novo sistema. Internamente, o MEC também promoveu reuniões com diversas áreas visando reunir contribuições à ferramenta e oferecer uma versão aprimorada do programa.
O resultado deste esforço foi comprovado desde 2011, quando uma parte das escolas priorizadas pelo PDE Escola utilizou o PDE Interativo. E, a partir de 2012, todas as escolas e secretarias que desejem utilizar o PDE Interativo poderão fazê-lo, mesmo sem a transferência de recursos por parte do MEC.

30 Notebooks foram entregues na manhã de quarta-feira, 23, pelo Prefeito Paulinho Dutra às diretoras das escolas municipais, durante reunião de trabalho realizada na Secretaria Municipal de Educação. Os equipamentos de informática foram adquiridos com recursos do Fundeb, no valor de R$ 54.600,00, através do pregão presencial  nº 02/2012, realizado em 7 de março deste ano.

Os notebooks são parte de uma vasta lista de materiais de informática licitada para a educação do município.  Os demais equipamentos serão entregues atendendo a demanda das escolas.

O Prefeito Paulinho falou às diretoras presentes  da satisfação em poder fazer essa entrega para  auxiliar ainda mais a educação mafrense, que já é destaque no estado. “Tenho a certeza de que esses notebooks serão uma excelente ferramenta de trabalho”, afirmou. Ele parabenizou às diretoras e aos funcionários da educação como um todo, pelo trabalho que vem desenvolvendo em Mafra e anunciou que a partir de junho vai visitar todas as escolas locais.

União de forças

A exemplo dos pedidos feitos aos funcionários de outros setores, ele pediu apoio e colaboração também às diretoras. “Mafra está esperançosa, por isso vamos nos unir, pois as mudanças aguardadas estão em nossas mãos”, declarou acrescentando que isso só será possível com o apoio de todos. Ao afirmar que tem um desafio muito grande nesses poucos meses de seu mandato, disse precisar da colaboração de todos.

Legenda

Na foto a Secretaria Eroni e o Prefeito Paulinho entregam os computadores, às unidades do Beija Flor, Avencal do Saltinho, São Lourenço e Portão São Lourenço, representando todas as escolas do Município.

Escola

O diretor Iuri Belandrino repassou o notebook para a secretaria da escola. Pretende, ainda este ano, renovar outros setores. Os pedidos foram feitos pela equipe diretiva e encaminhados a Secretaria Municipal de Educação. outros recursos que estão sendo aplicados são as verbas federais do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola) e o PDE Interativo (Plano de Desenvolvimento da Escola).

Quem fez aniversário esta semana foi a Roseli Terezinha Rodrigues, orientadora da Educação Infantil. Recebeu os amigos na data de ontém em sua casa. Desejamos a você muitas felicidades.

Por Gazeta de Riomafra | Publicado em 14/05/2012

Parceria entre entidades proporciona a formação profissional de alunos do ensino médio e infraestrutura necessária para informatização do Beija-Flor

Uma parceria informal entre o CEM Beija-Flor e o Senai de Mafra estão proporcionando uma troca de experiências entre as duas instituições. O diretor do Beija-Flor, Iuri Belandrino, visando oferecer melhor infraestrutura na área de informática à comunidade escolar entrou em contato com o Senai para falar sobre este assunto com a área responsável. O coordenador e professor do curso “técnico em redes”, do Senai, Laurant Patrik Brykczynski, aproveitou a ocasião para aliar a teoria da sala de aula à prática, levando 35 alunos do curso técnico de redes de computadores do Senai de Mafra ao Beija-Flor para trabalharem na padronização da rede da escola.

Inclusão digital

A inclusão digital pode ser considerada como democratização das tecnologias. Sendo assim, o CEM Beija-Flor está trabalhando para que isso seja levado a toda a comunidade escolar. “Nossa prioridade é a padronização, tendo todos os computadores da escola ligados em rede e com internet”, ressaltou Iuri.

Para o professor Laurant do Senai, os alunos tem a oportunidade de aplicar na prática o que aprendem em sala de aula. “São situações reais que eles vivenciam e não apenas simuladas no computador, desde a crimpagem de um conector a soluções de problemas mais complexos na rede”, explicou. Os alunos cumprirão um total de 12 horas/aula no Beija-Flor, tempo considerado adequado pelo professor para padronização da rede na escola.

Teoria e prática

Os alunos do 3º ano do Ensino Médio, Marlon Cristian Muldenberger, 17 anos, e Tayná Arantes Cardoso da Silva, 16, falaram desta experiência no Beija-Flor. “Na sala de aula utilizamos o laboratório e simuladores. Aqui é diferente, vemos o real problema e temos de resolvê-lo”, disse Marlon. Outro ponto que ele destacou foi quanto à experiência que vai adquirir durante este período. “No meu primeiro currículo vou dizer que fiz a estrutura de rede no CEM Beija-Flor como parte prática, aliado ao curso do Senai”. Ele pretende seguir a profissão na área de informática, fazendo curso superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.  Já Tayná disse que a experiência de “por a mão na massa” é também uma forma de aprender. Ela, que pretende cursar arquitetura, considera que este aprendizado lhe ajudará no futuro. “Eu gosto e consigo entender. Já montei e desmontei computador e mesmo indo para outra área, com certeza levarei muito deste curso”, contou Tayná.

O agente educacional, Carlos Eduardo Alves Gaissler, que trabalha no Beija-Flor há 10 anos, compara o antes e o depois da informatização. “Agora está otimizando o processo e a gente não fica mais dependente de uma única conexão. Vai facilitar o processo na questão da rede interna como na impressão e transferência de arquivos, que podem ser feitos da própria sala, sem deslocamento do funcionário”, concluiu.

Capacitação para comunidade escolar

Estão abertas as inscrições no CEM Beija-Flor para o curso gratuito “básico de informática”. O curso, com duração de seis meses, é dirigido à comunidade escolar e visa capaicitar o aluno para utilização do computador. São 40 vagas disponíveis e o início é em junho. Informações na secretaria da escola.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ktET9f-q50Y&w=560&h=345%5D

Nuvem de tags

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.